ENTRE CAMPOS... UM OLHAR... UM CAMINHO

quarta-feira, 31 de março de 2010

A FRUTA



Bastou Pinto da Costa dar uma entrevista a Judite de Sousa para surgir logo aqui pela internet em tudo o que é comentário as alusões à fruta e ao café com leite. Nada que surpreenda. Essa tem sido, aliás, a única forma que muitos encontram para, num acto terapêutico, aliviarem o peso de anos e anos de derrotas e frustrações.

Se não houvesse esta desculpa dos benefícios dos árbitros, como seria a dor da comiseração de tantos anos de insucessos? Se assim não fosse... ainda se suicidavam.

Na verdade, é muito mais fácil ler e ouvir escutas meticulosamente seleccionadas com o intuito de visarem e denegrirem o pesidente do Futebol Clube do Porto, do que ler cuidadosamente todas as páginas das sentenças dos tribunais onde, aí sim, a escuta é transcrita na sua totalidade e onde fica também claramente demonstrado o depoimento ficcionado de uma escritora. Mas isso, para além de muito trabalho, não interessa para o que se pretende. E cansa muito a cabeça e esta já está massacrada por muitos anos de derrotas.

Nos últimos quatro campeonatos que o Futebol Clube do Porto conquistou, o slb nem sequer a segunda posição conseguiu. Já para não lembrar o célebre sexto lugar precisamente no ano em que o Boavista foi campeão.

É por isso que, ao considerar essa função catártica do discurso da fruta e das escutas, nem tenho dito nada. Mas sinceramente... já cansa. Isso já devia estar resolvido. Há muitos profissionais por aí que certamente resolveriam este problema.

Assim sendo, talvez a resolução passe por dar a conhecer, ou lembrar, outros pomares. E é isso que vou fazer durante uns dias transcrevendo uma notícia publicada na dita «bíblia» do jornalismo desportivo português, no dia 28 de Novembro de 1995.

O título da mesma foi o seguinte: «As mulheres que amaram Mr. King»
O subtítulo? Este:
UM EX-ÁRBITRO INTERNACIONAL FALOU ABERTAMENTE DA OFERTA DE PROSTITUTAS POR CLUBES EUROPEUS, ENTRE OS QUAIS SPORTING E BENFICA.
Curiosos? Não percam as próximas entradas do meu blogue.

Sem comentários: